quinta-feira, 20 de abril de 2006

Estresse tecnológico: será que ele já atingiu você?

Caros Amigos!
--
Esta matéria serve de complemento ao post sobre exercícios para usuários de computador.
Boa leitura!
--
Abraços!
Juca
--
Estresse tecnológico: será que ele já atingiu você?
13/04/2006 - 17h50

InfoMoney
--
SÃO PAULO - Você sai de casa logo cedo, agarrado com o celular. Dentro do carro, ligar o rádio para acompanhar as notícias já faz parte da rotina. Ao chegar no trabalho, faz uma varredura nos e-mails e aos sites de seu interesse.
--
Até aqui, tudo parece ser normal e inofensivo, certo? Bom...e na volta para a casa? O expediente acabou, ou você continua conectado como uma "máquina"? Aí começa a definição do "tecnoestresse".
--
Faça um teste, aproveitando o feriado que você tem à frente: nas suas horas vagas você consegue mesmo relaxar?
--
Mania nem sempre é inofensiva
O hábito de estar permanentemente ligado parece inofensivo e até saudável, considerando-se que a busca pela informação garante bons resultados para o profissional. No entanto, como tudo em exagero se torna um perigo, é sempre importante observar os sinais de alerta!
--
Você usa a tecnologia a seu favor ou virou escravo dela? Saindo do escritório, o rádio no carro continua ligado nas notícias? No caminho para casa, você "desconecta" e procura diversão, seja com familiares ou amigos, ou corre novamente para o computador ou para o telejornal?
--
Quais os seus planos para os próximos feriados, já que o calendário deste ano está mesmo repleto deles: vai curtir sua casa e relaxar, ou pegar as malas e se divertir na praia ou campo? Seja qual for a situação, faça seu teste: consegue se desvencilhar do celular? Pode deixar seus e-mails fechados até a próxima segunda-feira? Pode deixar seu notebook de lado e simplesmente curtir um dia inteiro de folga?
--
Síndrome é objeto de estudo
Para quem acha tudo isso um exagero, vale o alerta. O assunto tem sido objeto de estudo no País desde o ano passado, conhecido também como "síndrome de excesso de informação". Já nos Estados Unidos, há vinte anos se fala neste tema!
--
Pesquisa realizada pela Isma-BR (International Stress Management Association), entidade voltada à pesquisa e desenvolvimento de prevenção e tratamento do estresse no mundo todo, ouviu 1.200 profissionais entre 25 e 55 anos de São Paulo e Porto Alegre.
--
De acordo com o estudo, 60% dos entrevistados afirmaram ter alguma seqüela provocada pelo mal. Os sintomas são vários: angústia, falta de concentração, agressividade, distúrbios do apetite, dores musculares, cansaço e alterações no sono.
--
Outro dado da pesquisa, divulgada pelo boletim informativo do CRA-SP (Conselho Regional de Administração), em sua edição de março, surpreende: para os entrevistados, a perda de informações no computador é um processo mais estressante do que a perda do emprego ou mudança de residência!
--
Fique de olho nos principais "sintomas"
Alguns sinais do dia-a-dia podem ajudá-lo a identificar se você deve agir com mais cautela em relação à tecnologia.
--
O que acontece quando você, em casa ou no trabalho, liga seu computador e ele simplesmente "não responde"? No caso de uma conexão lenta de Internet, qual a sua reação ao ver o tempo passar e o site desejado não dar o mínimo sinal de aparecer na tela?
--
Quantas vezes por dia verifica as mensagens recebidas por e-mail? Nas suas horas "vagas", passa seu tempo programando contatos e números de telefone em seu celular para poder fazer as ligações mais rápido?"
--
Quando vai viajar, seu notebook é o primeiro item da bagagem? Compare o tempo dedicado ao seu computador e aos seus filhos, pais, amigos ou cônjuges: quem sai ganhando nesta "disputa"?
--
Considera-se escravo da tecnologia? Isso implica em dizer que você não pode ficar por fora de nenhum lançamento, e não se conforma quando enfrenta alguma dificuldade ao lidar com novos programas!
--
Como driblar o problema
A psicóloga Ana Maria Rossi, presidente da Isma-BR, também em entrevista ao CRA, destaca que é possível reverter o jogo. O profissional deve verificar se apresenta algum tipo de comportamento de risco, como o uso diário do notebook. O ideal, em seguida, é impor a si mesmo limites para a utilização dos recursos tecnológicos (horários, tempo de uso etc).
--
Outra forma é buscar o relaxamento constante, praticar alguma atividade física e dedicar parte do seu tempo aos relacionamentos pessoais, seja em família ou com amigos. Aproveite melhor seus momentos de lazer e...relaxe!
--
Fonte: InfoMoney

1 Comentário:

Jorgè Pinheiro

Ciao cara!
Qua sto, Mi manca tanto tutto!
bacioni in tutti.

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu comentário sobre os serviços da "Lavanderia Virtual". Procurarei respondê-lo o mais rápido possível. Volte sempre! :-)

Abraços,
Juca (o gerente)



 

  ©Template Lavanderia Virtual, Customizado por Juca, baseado em Blogger Addicted.____Icons by DryIcons._____Ping Technorati____