sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Juiz concede adoção a casal gay

Adoção: adote esta idéia!
Crédito: Google Imagens
 
Mais uma vitória de justiça social, de respeito e de solidariedade. Que venham mais e mais. A Vida e a Esperança agradecem!
 
Justiça autoriza casal gay a adotar irmãs em Recife
FÁBIO GUIBU
da Agência Folha, em Recife

O Juizado da Infância e da Juventude de Recife (PE) deu sentença favorável ao pedido de adoção de duas irmãs -de cinco e de sete anos- feito por um casal homossexual masculino que vive em Natal (RN).

Segundo o juiz Élio Braz Mendes, responsável pelo julgamento do caso, a sentença é inédita no país. Nas decisões anteriores, apenas um dos parceiros homossexuais movia a ação, e não ambos, como ocorreu em Recife.

"A Constituição diz que não pode haver discriminação de sexo, cor, raça nem qualquer outro meio. E o ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente] afirma que é dever do Estado e de todos proteger integralmente a criança", diz Mendes.

O juiz esclarece que não há lei que proíba a adoção por pessoas do mesmo sexo. "Existe uma lacuna, e a lacuna não impede o exercício do direito."

Para ele, o importante é que os adotantes sejam capazes de cuidar das crianças, independente do gênero e da opção sexual. "Minha decisão, nesse caso, surgiu como certeza de que isso era o melhor para as crianças", diz. "Não estou reconhecendo a união civil dessas duas pessoas, estou dizendo que elas constituem uma família afetiva capaz de exercer o poder familiar, dar guarda, sustento e educação."

O Ministério Público de Pernambuco não irá recorrer.

Processo

Os nomes dos novos pais não foram divulgados, mas se sabe que o casal já havia tentado adotar duas crianças em Natal anteriormente, sem sucesso. Como não pretendiam mover ações individuais, procuraram o Juizado de Recife, onde passaram por avaliação.

Com o parecer psicológico favorável em mãos, a dupla fez o cadastro e, em poucos meses, recebeu a proposta para a adoção das duas irmãs. As meninas foram abandonadas pela família biológica e, atualmente, viviam em um abrigo.

Levadas a Natal, as duas irmãs passaram um ano com os novos pais, em um período de convivência familiar, com o acompanhamento pela Justiça. Para casais heterossexuais, o intervalo de tempo médio de observação é de dois meses.

"Nesse período ficou comprovado que eles possuíam todas as condições de uma família afetiva", diz. "Se a família é capaz de guardar, sustentar e educar, isso representa proteção e, para a Justiça, é o que interessa."

Fonte: Folha Online - Cotidiano

15 Recado(s). Após o sinal, deixe o seu!:

crazyseawolf

Juca

Ser pai ou mãe não é apenas "fazer" os filhos e deixá-los jogados por aí, e sim, um verdadeiro pai ou mãe são aqueles que dão carinho, ensinam ética e responsabilidade. Que ensinam os verdadeiros valores.
É muito fácil ser pai ou mãe... O complicado é ser O PAI e A MÃE.

Com certeza esse casal merece todo o nosso respeito.

Tenha um bom domingo, Juquinha!

Neto

Eu li esse texto.
E apoio a mudança de atitude da Justiça em relação a esse assunto (e á outros também).
É óbvio que nossa Justiça está deixando de ser discriminatória e injusta e tomando atitudes mais humanas.

Ao referido fato só posso lembrar que PAI e MÃE é todo aquele que dá amor, carinho, e ensina ética, respeito e responsabilidade à criança (além de ter participação constante em sua vida). Nesse contexto não significa que pai seja apenas o 'pai biológico' mas também àquele que decidiu criar e amar aquela criança como se fosse sua própria.

Bom domingo pra você!

Pai ou mãe não é aquele que gera, isso já é mais do que sabido.
Não importa qual a raça, sexo ou sua preferência sexual. Já está mais do que provado que filhos adotados por pais gays são muitos mais bem educados tanto na moral quanto na ética.
Sabe Juquinha, quando se sofre qualquer tipo de preconceito, assim como eu vivi com minha filha pelo fato dela ser obesa, aprendemos a ver a vida por outro prisma, e esses preconceitos acabam por nos fazer extremamente violentados em nossos sentimentos sentimentos.
O que importa é o grande amor que essas crianças receberão de seus pais. Quantas já poderiam estar no aconchego de um bom e ótimo lar.
Respeito e dignidade a todos que tem a magnitude de um ato de amor como esse!

Beijos do coração!
Rô!

Juca

Cidão, certamente que o casal demonstrou perante a justiça que estava preparado para cuidar das crianças. Como qualquer outro casal. :-) E como você mesmo disse, o importante é dar carinho, amor, respeito. E repassar valores que transformarão essas crianças em cidadãos e seres humanos de valor.

Abração! Ótimo domingo! :-)

Juca

Oi, Neto!

Pois é, temos mesmo que apoiar quando a Justiça realmente faz o seu trabalho. A meu ver é tão simples: tirar as crianças de orfanatos ou da rua e dar-lhes um lar. Claro que não se pode descuidar da parte psicológica, ética e moral, mas sem deixar que o preconceito turve a mente e a decisão, o que prejudicaria mais o adotando do que o adotante.

Realmente, com mais esta decisão nossa Justiça demonstra que está fazendo seu papel de forma sábia e sem distinção. Que mais e mais juízes, além da nossa Sociedade, possam seguir o mesmo caminho.

Tenha também um bom domingo!

Abração!

Juca

Rô, cada vez mais te admiro e respeito. E amo também, claro! :-) Suas sábias palavras cada vez mais me deixam confiante no sentimento que nutri por ti desde o início de nossas relações pela internet, que sinto como se fosse algo mais próximo. Que os leitores que por aqui passarem leiam e sintam profundamente suas palavras!!

Obrigado, de coração, por ser esse ser humano maravilhoso e de coração e mente abertos para o óbvio: o amor, respeito e carinho ao próximo.

Bom domingo! :-)
Beijão no seu enorme coração!

Luma

Juca, nao vou ser repetitiva, acho que todos os comentaristas e você fizeram observações pertinentes. Na atual conjuntura do país não vamos ser hipócritas - existem crianças drogadas e se prostituindo em toda a orla nacional pra não dizer do interior - e porque não conceder mais uma chance aqueles que foram abandonados pelos próprios pais. Independe se gays ou não, afinal, muitos pais heteros são promiscuos e nem sempre a justiça tem o trabalho de olhar por isso. Boa semana! Beijus

Juca

Tem toda razão, Luma! Menos hipocrisia e mais solidariedade e justiça social!

Obrigado! Boa semana pra ti também!
Beijos!

Su

Até que enfim parece que o Brasil está acordando. Crianças precisam de amor e respeito, independente de ter pais heteros ou homossexuais, o que importa é o amor. Somos todos seres humanos e temos direitos iguais, os pais heteros podem adotar uma criança, e então um casal homo tbm pode sim adotar um filho e com certeza ele vai ser muito bem dotado de amor. O que estraga o ser humano é o tal preconceito que existe no coração humano, e como sabemos as crianças são desprovidas desse sentimento tolo, e o que um casal gay pode passar pra os seus filhos??! Ah, isso eles sabem muito bem!! Eles vão ensinar amor, vão educar e a ser pessoas muito lindas de coração nesse mundo cruel!!!
Beijoooooooooos, Juca!!!
Feliz dia das Crianças!!

Juca

Su, amei suas palavras. Já percebo que, apesar de nova, você tem uma visão do que deve ser a verdadeira missão do ser humano na Terra: viver com amor, respeito, dignidade e solidariedade.

Obrigado, de coração, por tanta sabedoria!

Beijos! :-)

Fábio Mayer

Penso que se é para colocar a criança em um lar, onde ela receba afeto e consideração, é válido.

Melhor isso que ela viver largada, e tenho certeza que a maioria dos casais gays será de pais até melhores que os casais convencionais.

Juca

Pois é, Fábio, um lar de verdade é tudo o que a criança precisa mesmo, e não um 'lar' provisório e impessoal como são os abrigos ou creches!

Tenha um ótimo dia!
Abração!

Igor Garcia

Juca,

Isso é uma revolução e uma evolução no conceito social de família, principalmente por um órgão público! Aliás, nada mais "natural" a iniciativa partir da Justiça para que dê o exemplo, não só de ponto de vista, mas de mentalidade, já que em várias estâncias diferentes (criminal, trabalhista e etc) ninguém mais acredita em nada!

Como a Justiça prevaleçe indubtavelmente o bem estar da CRIANÇA, ver dois homens como pais beneméritos de tudo que uma criança tem o DIREITO de obter na vida, no lar e na família, me faz sentir a vontade de propagar essa informação para todos os lados!

Ainda bem que a Igeja não faz mais parte do Estado. E NESSE caso, não teve influencia alguma, como acontece na política!

Forte abraço!!

E tem lá um e-mail proce no Blogueiros hein??

Juca

Oi, Igor!

Muito boa essa sinalização positiva por parte da Justiça. As crianças precisam de juízes mais corajosos e abertos às mudanças que ocorrem à sua volta. Que essa evolução de pensamento seja profícua!

Realmente, essas notícias devem ser comemoradas e espalhadas aos quatro cantos. Assim, mais e mais crianças poderão ter um lar de verdade.

Valeu! Abração!

PS: Depois você me explica direito essa história de email no Blogueiros? Desculpe-me, mas não entendi do que se trata! :-)

Beatriz da Silva Mendonça

Concordo com casais gays adotarem crianças,garanto que vão dar todo o amor do mundo para elas,e com certeza é melhor doque elas ficarem sem alguem por elas....
Apoio 100%! que eles se deem muito bem na nova familia...
bjs!!!

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu comentário sobre os serviços da "Lavanderia Virtual". Procurarei respondê-lo o mais rápido possível. Volte sempre! :-)

Abraços,
Juca (o gerente)



 

  ©Template Lavanderia Virtual, Customizado por Juca, baseado em Blogger Addicted.____Icons by DryIcons._____Ping Technorati____