quarta-feira, 29 de outubro de 2008

As nossas prioridades de cada dia...

Poxa, preciso dar um jeito e comprar e comprar. Nem que para isso...

Crédito: Google Imagens

Humm, qual cor escolher...



Crédito: Google Imagens

Ai, qual modelito combinará com minha roupa hoje?

Crédito: Google Imagens

Meu celular está ultrapassado...

 


Crédito: Google Imagens
Opa, vou correndo trocar meu notebook!




Crédito: Google Imagens

Ouro branco ou amarelo?

Crédito: Google Imagens

Minha TV é LCD! Último modelo!

...tenha de fingir que o mundo é perfeito, "que todas as pessoas são felizes!"

Hadijatou Mani foi estuprada e forçada a trabalhar na lavoura                                                                    Crédito: BBC BrasilHadijatou Mani foi estuprada e forçada a trabalhar na lavoura

Níger é condenado a pagar US$ 19,7 mil a ex-escrava

Um tribunal africano condenou nesta segunda-feira o governo de Níger a pagar uma indenização de US$ 19,7 mil a uma ex-escrava

O Tribunal de Justiça, ligado à Comunidade Econômica dos Países da África Ocidental (Ecowas, na sigla em inglês), emitiu o veredicto em favor de Hadijatou Mani, que disse ter sido escravizada dos 12 aos 22 anos.

O governo de Níger, que afirmou ter feito "tudo o que pôde" para erradicar a escravidão no país, foi condenado por não ter protegido a jovem contra o trabalho forçado.

Hadijatou Mani, hoje com 24 anos, diz ter sido vendida por US$ 500 a um homem chamado Souleymane Naroua quando tinha 12 anos.

Ela diz ter sido forçada a realizar tarefas domésticas e trabalhar na lavoura. A partir dos 13 anos, ela teria sido estuprada e dado à luz filhos de Souleymane.

"Eu apanhava tantas vezes que fugia para a casa da minha família", contou a jovem à BBC. "Mas, depois de um dia, eu era levada de volta."

"Na época, eu não sabia o que fazer, mas, quando soube que a escravidão havia sido abolida no país, decidi que não seria mais uma escrava."

Bigamia

Em 2005, o "senhor" de Hadijatou a libertou e deu a ex-escrava um "certificado de liberdade", segundo relatos da ONG Anti-Slavery International.

Mas quando ela decidiu se casar com um outro homem, Souleymane recorreu e disse que eles eram casados.

Um tribunal local emitiu uma sentença em favor da jovem e permitiu que ela se casasse. Mas Souleymane recorreu e Hadijatou acabou condenada a seis meses de prisão por bigamia.

A ex-escrava levou o caso ao Tribunal de Justiça da Ecowas no início deste ano, acusando o governo de Níger de ter falhado em protegê-la contra a escravidão, uma prática proibida no país há cinco anos.

Precedente

O correspondente da BBC na África Ocidental, Will Ross, diz que a sentença é "vergonhosa" para Níger e envia uma mensagem ao governo de que é preciso agir com seriedade para fazer valer a lei e acabar com a escravidão no país.

A sentença ainda pode abrir precedente para que outras pessoas que foram submetidas a trabalho escravo nos países vizinhos reivindiquem seus direitos.

Uma organização local que luta para acabar com a escravidão em Níger diz que há mais de 40 mil escravos no país. O governo diz que os números são "exagerados".

De acordo com Romana Cacchioli, da Anti-Slavery International, a ONG libertou 80 mulheres do trabalho forçado nos últimos cinco anos.

Hadjatou Mani diz que uma das razões que a motivaram a entrar com uma ação no tribunal da Ecowas foi garantir a liberdade de seus filhos, já que, durante gerações, filhos de escravos tornavam-se automaticamente propriedade do senhor de escravos.

A escravidão ainda é praticada no Mali e na Mauritânia.

Fonte: BBC Brasil

"Vamos deixar assim, para ver como é que fica!"

"Não é problema meu!!"

6 Recado(s). Após o sinal, deixe o seu!:

Glayce

É problema de todos nós!!!!
Nossa, e, mais uma vez, que bom que ainda ocorre uma justicinha aqui e alí! =/
Vamos comprar, vender, comprar...e Africa continua passando fome!

P*S Mas eu adorei as bolsas!

Oh, tem um presente pra ti no meu quarto, mas comporte-se! rs

Beijão, Juca!

Juca

Glayce, infelizmente, parece que ainda será assim por muito tempo! Comprar, vender, comprar... e a Áfria e outros países passando fome! Mas o que me chamou a atenção na reportagem da BBC foi o fato de AINDA termos de conviver com um fato absurdo para que atinge outro ser humano: ESCRAVIDÃO!

Já fui lá no seu quarto e me comportei, tá? rsrs

Beijos!

Su

Caaralho (lê-se completamente indignada!) Onde é que eu estava que não vi esse post antes??

"Vai ver pulando que nem louca na caixinha de recados." (minha voz interior dando dura em mim mesmo... hehehe)

Mas,
pultz!!
COmpramos, vendemos, gastamos dinheiro a toa e enquanto isso há muitas pessoas sofrendo por ai, pessoas sendo escravizadas e nós escolhendo o carro do ano, com que roupa ir a festa! Lamentável meesmo!!

Mas ainda bem que temos pessoas dignas e honestas que sempre faz o mundo valer a pena, ainda tem jeito sim, bastar nós irmos a luta e mudar a dura e triste realidade!!!!

Juca,
como sempre vc arrasando aqui, hein?!!

Beijão

Juca

Su, entendo seu desabafo! Minha vontade também é de gritar!

O que me deixa esperançoso é exatamente o fato de que ainda existem muitas pessoas com boas propostas para mudar esse cenário.

Beijão!

João Octávio

Foda... (cabeça baixa, mãos no bolso, expressão de quem não tem nada a dizer além disso, pois "foda" é a única palavra capaz de definir a indignação sentida após ler isso)

Juca, é por causa dessas e outras que às vezes tenho vergonha de dizer que pertenço à "maldita raça humana" (expressão cunhada por mark twain)...

Juca

João, entendo o que sentiu, pois comigo foi assim também!

Pois é, quando será que deixaremos de ser a "maldita raça humana"? Também tenho vergonha de pertencer à dita civilização, à raça humana -e foram muitas as vezes. :-(

Abração!

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu comentário sobre os serviços da "Lavanderia Virtual". Procurarei respondê-lo o mais rápido possível. Volte sempre! :-)

Abraços,
Juca (o gerente)



 

  ©Template Lavanderia Virtual, Customizado por Juca, baseado em Blogger Addicted.____Icons by DryIcons._____Ping Technorati____