segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Feliz gravidez, feliz parto!

Gosto muito de ir ao blog da Carla, o Vai, Carla, ser gauche na vida!, porque lá ela aborda sempre os temas gravidez, parto normal e parto humanizado:

"Nasci na Argentina, mas vim morar no Brasil quando criança. Vivo e trabalho em Porto Alegre, tenho 40 anos, sou cristã, vegetariana, descasada e tenho dois filhos. Sou ativista voluntária do parto normal e da amamentação. Gosto muito de ler e agora estou me aventurando a escrever neste blog."

No final do ano passado ajudei na elaboração da monografia de conclusão de curso de Psicologia da minha irmã, sendo que o tema foi justamente Parto Humanizado. Foi interessante aprender sobre determinados aspectos da técnica de parto humanizado, que preconiza a volta ao parto natural e os benefícios antes e depois tanto para a mamãe quanto para o bebê. Sugiro, então, uma visita ao blog mencionado tanto para as mulheres que pretendem engravidar como para os futuros papais, pois estes podem e devem ter papel preponderante em todas as etapas da gravidez.

 

Outro fato louvável é saber que lá ela expõe seu relato pessoal ao escolher o parto natural para dar à luz seus dois filhos, demonstrando força, sabedoria e amor. Meus parabéns e minha admiração e respeito, Carla!rose

 

Como forma de contribuir com o belo trabalho que lá a Carla realiza, deixo aqui um artigo muito interessante sobre gravidez e os cuidados do dia-a-dia, mais especificamente sobre "O que fazer quando surge uma dor durante a gestação".

 

Boa leitura aqui, mas sugiro uma visitinha ao blog dela logo em seguida. Ah, não deixem de ler a explicação para o nome do blog! smile_wink

"O que fazer quando surge uma dor durante a gestação

Elas aparecem em várias partes do corpo. Saiba onde elas surgem, até onde o incômodo é normal e como diminuir o sentimento

Por Patricia Boccia

O sintoma do "não-me-toque" é fruto dos hormônios que alteram os gatilhos do centro nervoso da dor. No cérebro há um delicado sistema de neurotransmissores responsáveis em avisar o corpo quando ele está sofrendo uma agressão. Daí a pessoa sente dor.
Acontece que altas doses de hormônios no organismo mexem com o tal sistema e a mulher fica com a sensibilidade à flor da pele. Sendo a sensação dolorosa algo natural, não dá para desprezá-la totalmente.
Não estranhe esse "dói aqui, dói ali" que você passou a sentir ao saber da gravidez. A maioria das gestantes sofre mesmo com dores de cabeça, nas pernas, nos seios, para fazer xixi e até na relação sexual.
"Ao contrário, é bom entender bem cada sintoma para saber quando ele pode representar perigo", explica João Carlos Mantese, ginecologista de São Paulo. A seguir, você vai ficar por dentro dos principais tipos de dores que costumam perturbar a grávida e aprender a contornar essa indesejável sensação.

DE BEM COM A COLUNA

Por que surge o desconforto: dor nas costas é comum e torna-se mais intensa à medida que a gestação avança, principalmente perto do sétimo mês. Para sustentar o volume maior da barriga é necessário um esforço extra da coluna e o resultado são as dores. A situação piora para mulheres sedentárias, que já tenham histórico de desvios e hérnias de disco, ou estejam com excesso de peso.

Passou dos limites: se a dores estão impossibilitando suas atividades corriqueiras como trabalhar, deitar e caminhar, pode ser que haja compreensão de nervos ao redor da coluna e, nesse caso, o médico precisa receitar medicamentos. Fique atenta, pois a dor muito intensa na região dos rins (acima do quadril e bem próxima à lombar) pode ser sinal de alguma infecção no órgão.

Dicas para aliviar: há um vasto arsenal para combater as dores nas costas. Você pode tentar uma massagem relaxante na região lombar, praticar hidroginástica e a fisioterapia com RPG (reeducação postural global).

Durante a massagem, deite de lado para não pressionar a barriga. Os exercícios na água são excelentes, pois ajudam a fortalecer a musculatura que sustenta a coluna, não causam impacto durante os movimentos e relaxam devido à temperatura morna da água.

O RPG orienta a grávida a manter uma boa postura, sem que projete a barriga e os ombros para frente. Outra dica importante é usar almofadas de apoio próprias para a grávida dormir. Há modelos ideais para colocar entre as pernas a fim de acomodar a coluna, e outros suportam o peso da barriga quando deitada de lado.

PERNAS LEVES E SOLTAS

Por que surge o desconforto: a sensação de pernas pesadas e inchadas que, ao serem levemente tocadas, parecem afundar como uma almofada, é sinal de retenção de líquidos. Outro sintoma são as famosas cãibras - contração muscular intensa que costuma surgir no fim do dia ou após os exercícios.

Passou dos limites: o inchaço, seguido de tonturas e dor de cabeça, forma o quadro clássico de pressão alta. Por isso, a grávida deve sempre informar seu médico se está inchando demais. Os episódios recorrentes de cãibras significam que a futura mãe está deficiente do mineral potássio no corpo.

Dicas para aliviar: a drenagem linfática é excelente para combater os inchaços. A fisioterapeuta ou esteticista utiliza toques suaves e com certa compressão nas regiões de maior concentração de glânglios linfáticos (axilas, virilhas e atrás dos joelhos) para ajudar a eliminar as toxinas e o excesso de líquidos.

Por isso é comum a mulher sair da sessão com vontade de fazer xixi. Em relação à cãibra, o ideal é alongar para dar mobilidade aos músculos e ingerir alimentos ricos em potássio, como a banana. Durante a crise, peça ao marido segurar a perna no alto para alongar a musculatura posterior, a que mais sofre com a contração.

BARRIGA COMPANHEIRA

Por que surge o desconforto: a barriga só causa dor na grávida lá pelo sétimo mês, quando já está bem volumosa e pode incomodar ao sentar-se ou deitar-se. Quando a pele está muito esticada provoca a sensação de repuxar. As pontadas laterais (quando não é o nenê chutando) são gases.

Passou dos limites: se as dores vierem acompanhadas de cólicas ou contrações é hora de ir ao hospital para investigar se está tudo bem com o bebê.

Dicas para aliviar: calcinhas com suporte para a barriga ou cintas com suave compressão ajudam a amenizar a sensação de peso e melhoram a postura. Além disso, é importante besuntar a barriga depois do banho com óleo de amêndoa ou cremes à base de elastina, para evitar que a pele se distenda e forme estrias. Com relação ao acúmulo de gases, tome chá de camomila ou de erva-doce após as refeições para ajudar na digestão.

Algumas dores surgem naturalmente por causa das transformações no corpo durante a gravidez. Qualquer crise, no entanto, deve ser informada ao obstetra que avaliará se existe algum problema maior e indicará o tratamento adequado.

SEIOS SAUDÁVEIS

Por que surge o desconforto: antes de saber de sua gravidez, os seios doíam e os bicos ficavam supersensíveis. A situação deve permanecer assim até o início da amamentação. Sinal de que o corpo está preparando as glândulas mamárias para começarem a produzir leite.

Passou dos limites: dificilmente os seios inflamam durante a gravidez. Este problema é mais comum depois que o leite flui, no entanto, em pouquíssimos casos, o duto (canal por onde o leite escoa) fica obstruído e pode infeccionar. Quando isto acontece, o médico precisa intervir com remédios.

Dicas para aliviar: a partir do terceiro mês de gestação é importante começar a preparar os seios para a amamentação. Isso é bom, pois ajuda a minimizar a sensibilidade, principalmente nos mamilos.

Durante o banho, com uma bucha vegetal, esfregue delicadamente os bicos para deixar a pele mais resistente. Depois, aplique um creme hidratante apenas nos seios (não passe o produto nos mamilos). E, desde o início, use sutiãs com alças largas e que proporcionem boa sustentação às mamas.

CABEÇA NO LUGAR

Por que surge o desconforto: cerca de 30% das grávidas sofrem com enxaquecas durante a gravidez, justamente porque a ação hormonal é um dos principais gatilhos para as crises. Felizmente, em quase 80% dos casos, o problema desaparece após o terceiro mês, quando o corpo se acostuma com a avalanche de hormônios.

Passou dos limites: se a enxaqueca vier acompanhada de inchaços e tonturas, pode representar um problema mais sério: a hipertensão. Por isso, o obstetra deve estar sempre a par do que a grávida está sentindo.

Dicas para aliviar: remédios para controlar a enxaqueca somente devem ser tomados com autorização do ginecologista. De qualquer forma, a gestante deve tentar relaxar, ficar em ambientes silenciosos e sem muita luz. A acupuntura, realizada apenas por médicos, também é uma boa opção para controlar os casos recorrentes.

SEXO É UM PRAZER

Por que surge o desconforto: o peso da barriga e a falta de lubrificação na vagina podem provocar dor durante a penetração. Se a mulher tiver infecção vaginal, o incômodo será ainda maior.

Passou dos limites: corrimento, sensação de ardor e coceira na vagina é sinal de que há bactérias ou fungos causando o problema. Neste caso, é importante fazer um exame de cultura para investigar o tipo de microorganismo que está contaminando a região. Lembre-se: o marido também precisa se tratar para que a mulher não volte a se infectar.

Dicas para aliviar: se o desconforto durante o sexo só ocorrer devido à falta de lubrificação, a grávida pode usar um gel à base de água, próprio para relações. Converse com o parceiro e encontrem posições diferentes que favoreçam a penetração e proporcionem mais prazer.

UM XIXI ALIVIADO
Por que surge o desconforto: cada vez que a gestante vai ao banheiro é um sofrimento. Embora sinta vontade, nem sempre o xixi aparece. E quando surge, a saída da urina provoca dor ou ardor. Pode ser sintoma de cistite, uma inflamação no canal da urina, provocado pela contaminação por bactérias.

Passou dos limites: a cistite é sempre um problema sério que precisa ser tratado, pois estudos indicam aumento das chances de a doença levar ao parto prematuro. Sintomas como dor na região lombar e febre significam que a infecção tomou conta dos órgãos urinários. O tratamento se faz com antibióticos para exterminar os intrusos, mas sempre com acompanhamento médico.

Dicas para aliviar: beber muito líquido e ir ao banheiro sempre que tiver vontade para lavar a uretra e evitar que os agentes infecciosos alcancem a bexiga. É importante fazer essa higiene após as relações sexuais.

CABEÇA: os hormônios podem provocar o aparecimento de enxaqueca, que costuma desaparecer depois do terceiro mês de gestação.

SEIOS: A preparação natural das glândulas mamárias para a produção de leite deixa a região sensível e dolorida.

COSTAS: Acabam sobrecarregadas pelo peso da barriga, principalmente a partir do 7. mês. Sedentarismo e excesso de peso pioram a situação.

BARRIGA: A pele muito esticada no final da gestação e o acúmulo de gases provocam a dor.

VAGINA: No sexo, desconfoto durante a penetração geralmente ocorre por causa da pouca lubrificação. Uma dor forte ao urinar é sinal de infecção.

PERNAS: Pernas inchadas são resultado da infecção do líquido. E a contração muscular intensa leva ao surgimento das cãibras.

Consultoria: Fábio Dias Valverde, fisioterapeuta de São Paulo;José Bento de Souza, ginecologista de São Paulo; Paulo Farber, ginecologista e acupunturista de São Paulo. Fonte: Gravidez saudável, guia prático da gestação do bebê, Roberto Buenfil de Faria, editora Lemos"

Fonte (imagem e texto): iTodas - Mãe.

21 Recado(s). Após o sinal, deixe o seu!:

NANDO DAMÁZIO

Juca, eu me lembro dessa mamogr... ou melhor, monografia que tu fez ano passado, todo mundo na torcida para que desse tudo certo, e deu, né?

Vou lá conhecer esse blog da Carla, o nome em si já me chamou a atenção, e você sabe que se tem uma coisa valiosa demais pra mim nesse mundo é filho, né? Então vamos amamentá-los e amá-los...
Beij... quer dizer: abraço! ;-)

Juca

Sim, Nando, deu tudo certo! Minha irmã entregou a monografia e finalizou o curso. Agora ela é uma psicóloga! Ebaaaaaaa! Mas eu apenas a ajudei com a pesquisa e dicas (orientação, porque infelizmente os orientadores deixam a desejar), tá! :-)

Você vai adorar o blog da Carla. Ela domina muito bem o assunto parto natural e amamentação. Ela disponibiliza links de matérias importantíssimas sobre o tema. Vale a pena ser lido e seguido! :-)

Abraç... quer dizer: beijo! :-)

Max

Oi Juca,

Estou de volta!! :D

Que artigo maravilhoso!
Mas antes de continuar com o meu comentário, gostaria de te agradecer pelas visitas ao meu blog (durante a minha ausência)...és um amor!

Ok...agora poderei continuar:
Eu adoro este tipo de temas, uma vez que sou uma adepta da procriação; e parto natural é o que eu mais defendo (mas claro, quando não dá, não dá). Acho que as mulheres já estavam a fazer da cesariana um desporto curriqueiro (o que é assustador)!

Quanto aos sintomas de gravidez...:O assustadores, não? Mas mesmo assim, vou querer passar pelo processo :D!
Não há nada mais lindo que gerar uma criança; acho até que é a maior prova de amor à vida que uma pessoa possa dar!

Darei um pulo até ao Blog da Carla :)!

Tem uma boa semana!

Beijos

Carla Beatriz

Juca,

Nossa, fiquei tão emocionada pela linda homenagem que vc fez a meu blog! Muitíssimo obrigada, por eu faço realmente de coração. :-)
Desde cedo, eu sempre me interessei pelo assunto parto normal e era uma meta em minha vida. Felizmente, consegui cumprir essa meta muito bem! Por isso, gosto de compartilhar minha experiência a outras mulheres, para que elas saibam que têm SIM opção e que ela é perfeitamente viável, basta querer, pesquisar e encontrar os profissionais certos para isso.
Acho muito importante os homens se envolverem nessa causa, pois apesar de não parirem, eles podem ser um precioso suporte à mulher no trabalho de parto.

Valeu, Juca!

Um grande beijo!

Cidão

Poxa, Juca, pensei pelo título que você tinha sido papai...

Belo artigo!!!

Nunca vi um parto normal cara a cara, apenas por vídeo, e na ocasião desmaiei na hora, imagine se fosse ao vivo...

Um abração!

Du

Juca, um belo artigo para mamães de primeira viagem! Ainda bem que já passei dessa fase! rsrsrsrsrssr

Beijão, querido!

Juca

Max, bom retorno! Foi um prazer visitar seu blog também durante sua ausência! Aquele conto está muito interessante! :-)

Este é mesmo um tema empolgante! Mas quanto aos partos cesarianos, entendo que os Governos e os médicos também têm uma enorme parcela de culpa. Mas acho que está havendo uma mudança de mentalidade por parte das mulheres. Acho também que o cenário está mais propício aos partos naturais. Que assim seja! :-)

Vá lá visitar o blog sim, há uma grande lição de vida por lá!

Beijos!

Juca

Carla, surgiu de forma espontânea tão logo comecei a pensar o que escreveria no post. Logo lembrei do seu blog e dos temas relevantes sobre parto natural e humanizado, além da sua própria experiência de vida. Quando vi já tinha dado corpo ao preâmbulo do post. Saiba que foi singela, mas de coração.

Parabéns pelo seu maravilhoso exemplo de vida e pelo belo trabalho que desempenha!

Beijos!

Juca

Cidão, tive que rir com seu relato sobre ter desmaiado ao assistir ao vídeo. Fiquei imaginando a cena. :-)

Agora quanto a achar que eu tinha me tornado pai, até que seria uma maravilhosa e bem-vinda novidade em minha vida! Mas quem sabe... :-)

Abração!

Juca

Du, sua opinião é muito bem-vinda, sempre! :-) Que as futuras mamães possam abrir suas mentes e pensar melhor na possibilidade do parto humanizado.

Mas quem sabe você ainda queira ter mais um filho, aí já sabe qual a melhor maneira de pô-lo no mundo. :-)

Beijos, minha linda! :-)

NANA

Juca, adorei o post.
Muitas informações.

Aqui na Lavanderia sempre tem um post "utilidade" e eu gosto muito.

Bêjos no nariz meu lindo!

Hapi

Gain up to 600 visitors in a day for just one message here.

Carla Beatriz

Cidão,

Meu ex-marido não só assistiu, como participou ativamente dos partos de nossos dois filhos. Se vc ficar junto de sua parceira, em um parto natural, verá que não há motivo para desmaiar. ;-)

Juca,

Imagine a vantagem que vc já tem sobre os papais de primeira viagem: vc tem o conhecimento teórico sobre parto humanizado e conseguirá ser um precioso apoio à sua parceira nesse momento tão especial. E espero que vc consiga cumprir seu sonho de ser pai, pois é muito bom!

Beijos

Juca

Oi, Nana!

Que bom que o post foi útil! :-)

Beijão!

Juca

Carla, obrigado pelo incentivo. Sinceramente, quero ser pai, de coração! :-)

Beijos!

Juca

Hapi,

Thank you, but I'm not interested! :-)

Carla Beatriz

Juca,

Parabéns pela gravidez de sua irmã!

Se ela quer tentar o parto natural, é bom ela se informar, ler bastante a respeito, conversar com profissionais da saúde que fazem parto natural e, principalmente, encontrar um médico que acredite na capacidade da mulher de parir.

Desde já, indico para ela a rede Parto do Princípio , onde ela poderá encontrar muita informação a respeito.

Igualmente, diga à sua irmã que ela pode contar comigo para todas as informações que ela quiser obter junto a mim, devido a meus conhecimentos no assunto e experiência própria na área. :-)

Um grande beijo

Juca

Carla, obrigado pelas dicas. Vou repassá-las à minha irmã. Direi também que você se colocou à disposição caso ela precise. É importante saber que podemos contar com sua experiência. Valeu, mesmo, de coração!

Um afetuoso beijo! :-)

Anônimo

Estou no 4ºmês de gestação e passo por problemas que às vezes me deixam desanimada.MOro de favor com minha sogra e 2 adolescentes e para melhorar meu marido fica sempre a favor deles e até fala que o nosso bebê não é dele e pede para eu dar o bebê para ele.Já conversei com ele ,mas parece que ele não me entende.Por favor me ajude.Necessito muito de um conselho.
Atenciosamente,desesperada

Du

Puxa...eu gostaria muito de poder ajudá-la e falar qualquer coisa que fizesse com que você se sentisse melhor, mas o que você nos conta é muito pouco pra ter um embasamento mais preciso. Sinceramente não sei o que te dizer diante dessa situação, que por sinal é muito complicada! Mas tem uma coisa que eu não entendi: Se o seu marido acha que o filho não é dele, porque ele quer que entregue a criança pra ele?

Juca

Pois é, Du, também não sei exatamente o que dizer a essa grávida que possa reconfortá-la!!

O que posso dizer é que você deve procurar a Assistente Social do serviço médico em que faz o acompanhamento pré-natal, comente com ela sobre suas angústias e medos, peça-lhe uma orientação e deixe-a a par dos acontecimentos. Assim você poderá se sentir mais confiante!

Em todo caso, não deixe de denunciar qualquer tentativa de intimidação e maus-tratos que possam prejudicar sua gestação!

Boa sorte! :-)

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu comentário sobre os serviços da "Lavanderia Virtual". Procurarei respondê-lo o mais rápido possível. Volte sempre! :-)

Abraços,
Juca (o gerente)



 

  ©Template Lavanderia Virtual, Customizado por Juca, baseado em Blogger Addicted.____Icons by DryIcons._____Ping Technorati____