sábado, 24 de novembro de 2007

Sampa, 04 de novembro de 2031

São Paulo, 04 de novembro de 2031!

Querida Betty Roo! (Espero que ainda se lembre desse apelido carinhoso!)

Hoje completo 70 anos, acho que estou ficando um "pouquinho" velho! As mãos já não têm a mesma vitalidade para escrever no teclado do meu velho computador, mas também não importa mais, pois agora existe um equipamento ligado à internet que projeta uma tela em 3D que possibilita acessar emails, blogs, pagar contas, fazer compras, assistir filmes e novelas, conversar com alguém como se a pessoa estivesse alí do seu lado. Ah, mas que bobagem de minha parte, afinal morando aí na Europa você já utiliza equipamentos muito mais modernos. Liga não, minha filha, é a idade! rs rs

Houve um crescimento demográfico extraordinário aqui em Sampa, agora já passamos dos cem milhões de habitantes. Já imaginou a loucura: não existem mais casas, só prédios de apartamentos com no mínimo 40 andares; carro particular, nem pensar, só veículos coletivos (pelo menos para a massa populacional, pois aqueles que detêm o poder conseguem algumas regalias); a poluição está cada vez pior (para sair à rua é preciso usar uma espécie de máscara de oxigênio). O clima, então, está totalmente descontrolado. Algumas cidades do nordeste foram totalmente abandonadas devido à seca que agora dura o ano todo, viraram cidades fantasmas. A população foi transferida, aos poucos, para cidades próximas ou para as grandes metrópoles do sul e sudeste.

A despeito do meu aniversário, lembrei-me de um poema belíssimo, do saudosíssimo escritor Mario Quintana, que fala do Tempo. Ih, acho que minha memória está falhando, vou consultar minhas anotações virtuais. Achei, aqui está, diz assim:

"AH! OS RELÓGIOS

Amigos, não consultem os relógios
quando um dia eu me for de vossas vidas
em seus fúteis problemas tão perdidos
que até parecem mais uns necrológios...

Porque o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida - a verdadeira -
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira.

Inteira, sim, porque essa vida eterna
somente por si mesma é dividida:
não cabe, a cada qual, uma porção.

E os Anjos entreolham-se espantados
quando alguém - ao voltar a si da vida -
acaso lhes indaga que horas são..."

Mario Quintana - A Cor do Invisível

Fonte: A Magia da Poesia

Pois bem, minha querida amiga Ru, espero que tenha me perdoado por não ter respondido aos seus "memes" no devido tempo e com a devida atenção que eles mereciam. Também não tenho certeza se receberás esta minha "cartinha virtual". Todavia, lanço este pedido de desculpas e peço que dê uma olhadinha lá no meu blog, o Lavanderia Virtual, lembra? Agora costumo postar umas 10 vezes por dia, nem sei se alguém se interessa pelo que escrevo. Enfim, serve como passatempo até que o Anjo da Morte resolva me visitar! Acho que ele está muito bravo comigo, pois não vou lhe dar esse "gostinho" tão cedo, quero ficar aqui na Terra por mais uns 20 ou 25 anos! rs rs rs

Agora tenho todo o tempo do mundo, minha filha! Já estou velho mesmo e não tenho filhos e muito menos netos, assim sobrou bastante tempo, coisa que me era escasso lá pelos idos de 2007. Agora vivo num abrigo para velhinhos, muito tranqüilo, aconchegante e caro! Ainda bem que fiz meu "pé de meia"! rs rs

Bom, agora vou parar por aqui, pois está na hora de servir o jantar, não quero atrapalhar a refeição dos meus "coleguinhas" de moradia. Além do mais, é a hora em que fazemos fofoca e falamos sobre tudo! A idade tem essa liberdade! rs rs

Espero que esteja tudo bem contigo! Caso receba esta cartinha, por favor, dê notícias! Lá se vão quase trinta anos desde a última vez que nos falamos. Sinto saudades daquela época! Fique bem, minha filha!

Beijos!
Juca

PS: Caso tenha notícias dos nossos amigos blogueiros, a Du, o Lucas, a Lusófona, a Luma, o Zé Batata, os poetas João Jacinto e Samuel Rolo, a poetisa Fernandinha, o sociólogo de Moçambique Carlos Serra, por favor, diga-lhes que adorava visitar seus blogs, cada qual de uma forma especial e única!

12 Recado(s). Após o sinal, deixe o seu!:

luma

E com 70 anos me fez chorar pela primeira vez.

Não se apoquete! Colocou uma música muito triste para tocar - uma tal Allouette - que triste! Que em francês traduz-se "Cotovia"

Casou com o seu tempo e o de Quintana. Será que com 70 se lembrará além dos amigos, dos seus amores? Será com pesar ou doce nostalgia?

"Meu amor eu vejo a lua brilhar
Por que você quer partir agora?

Lá longe, a noite é calma, é a rainha do mundo.

Fica mais um segundo, fica mais um segundo ou vem comigo.

A luz dos meus dias me descobrirá e somente a noite nos esconderemos

É o amor impossível e o mundo de nada entende disso.

Fica mais um momento, fica mais um momento

Fica comigo

Então, você pensa estar enganado e vê que foi o rouxinol que te acordou e não a cotovia que nos traz os dias.

Fica mais um segundo
Esquece o mundo, vem comigo"

Tradução da música, não se assuste! (rs*)

*Adorei as novidades do blogue!
Bom domingo! Beijus

Juca

Oi, querida Luma!

Desculpe pelas lágrimas, não era essa a intenção!

Quanto à música da Denise Emmer, realmente é muito triste. Mas foi mera coincidência. Fui atrás da tradução há poucas semanas. Mas sinto-me honrado em ter sua tradução especialíssima diretamente no meu blog. Sabe que agora lendo aqui, lembrei de Romeu e Julieta. Que engraçado, conheço a música há quase 30 anos, mas só agora lendo a tradução aqui é que me "toquei" que tem tudo a ver com Romeu e Julieta! rs rs

Quanto à lembrança dos amigos e dos amores, espero lembrar sempre com doce nostalgia! Tantos momentos especiais...!

...................................
Trecho do livro Romeu e Julieta:

Cena V
O mesmo. Quarto de Julieta. Entram Romeu e Julieta.

JULIETA — Já vais partir? O dia ainda está longe. Não foi a cotovia, mas apenas o rouxinol que o fundo amedrontado do ouvido te feriu. Todas as noites ele canta nos galhos da romeira. É o rouxinol, amor; crê no que eu digo.
ROMEU — É a cotovia, o arauto da manhã; não foi o rouxinol. Olha, querida, para aquelas estrias invejosas que cortam pelas nuvens do nascente. As candeias da noite se apagaram; sobre a ponta dos pés o alegre dia se põe, no pico das montanhas úmidas. Ou parto, e vivo, ou morrerei, ficando.
JULIETA — Não é do dia aquela claridade, podes acreditar-me. É algum meteoro que o sol exala, para que te sirva de tocheiro esta noite e te ilumine no caminho de Mântua. Assim, espera. Não precisas partir assim tão cedo.
ROMEU — Que importa que me prendam, que me matem? Serei feliz, assim, se assim o quiseres. Direi que aquele ponto acinzentado não é o olho do dia, mas o pálido reflexo do diadema da alta Cíntia, e também que não foi a cotovia, cujas notas a abóbada celeste tão longe ferem sobre nossas frontes. Ficar é para mim grande ventura; partir é dor. Vem logo, morte dura! Julieta quer assim. Não, não é dia.
JULIETA — É dia; foge! A noite se abrevia. Depressa! É a cotovia, sim, que canta desafinada e rouca, discordantes modulações forçando e insuportáveis. Dizem que ela é só fonte de harmonia; não é assim, pois ora nos divide. Há quem diga que o sapo e a cotovia mudam os olhos. Oh! quisera agora que ambos a voz também trocado houvessem, pois ela nos separa e, assim tão cedo, como grito de caça mete medo. Oh vai! A luz aumenta a cada instante.

Fonte: http://www.culturabrasil.org/romeuejulieta/romeu_e_julieta.htm

Ru Correa

Juca, Juca...
Qual não foi a minha surpresa ao ver seu comentário no OtherSide e "correr" até o Lavanderia pra ver do que se tratava.
Sua carta me levou a viver, mesmo que por alguns minutos, em um futuro não tão distante e eu chorei, assim como a Luma. Pude me remeter às condições que nos aguardam, às precárias condições...
Tive medo! Me senti de mãos atadas! Como um cervo cercado por um leão faminto... Caindo em direção ao abismo da ignorância humana.
Sua cartinha virtual chegou! E estou feliz por ter chego, só não sei se ainda há tempo de reverter os grandes males provocados por nós, humanos, seres irracionais... mas não vou desistir. A quem puder, irei mostrar a sua cartinha...
Obrigada por se lembrar de mim!
Tenha um lindo domingo ai no seu abrigo, prometo que, quando puder, irei visitá-lo.

Beijos, da sua admiradora "Betty Roo!!!

Du

Ainda bem que não fui só eu que chorei, nossa!Quanta emoção nesse post, juca! E senti tanta tristeza, principalmente por saber que com 70 anos você se vê sozinho, num abrigo... Tudo bem que fez seu pé de meia, mas...sei lá, isso foi o que me deixou mais triste!Será uma tal liberdade que eu ainda não entendo? Ou será porque estou tão acostumada a ficar só hoje, que não posso nem pensar na possibilidade de ainda estar só com 70 anos? Não sei...os sentimentos se fundiram de uma forma estranha aqui dentro, mexeu com os sentidos...

Beijos

luma

Que coincidência!!
Bom dia! Beijus

Du

Passei pra te desejar um bom dia e dizer que entendi o seu objetivo quando escreveu a carta... só não gostei do final dela. Você é o tipo de pessoa que merece envelhecer ao lado de alguém que o ame profundamente.

Beijos querido!!!

Ru Correa

Juca!! Recebi um meme que achei a sua cara! Já repassei ele pra você, se quiser, responda! Fique a vontade, tá?
Mil beijinhos!
Inté!

Ps: Assinado - Betty Roo
hehehhee

Juca

Du, obrigado pelo carinho! Também desejo ter alguém...mas só o tempo dirá! rs rs rs

Ru, obrigado pelo meme! Prometo que não demorarei tanto e antes dos 70 anos o responderei. rs rs

Beijos!
Juca

Du

Bom dia meu querido Juca! Você não tem caixinha de recados, então dou bom dia por aqui mesmo! E aquela mistura de sertanejo com conde, heim? Eu escrevo as coisas sem pensar nas consequências, aí já viu, isso dá asas a imaginação de qualquer um! heheheheheheheheh
Tô doida pra ver suas respostas ao meme de Betty Roo!!!!

Beijusssssssssssssss

Lusófona

Bem.... o quê posso eu escrever sobre este post? Primeiro foste inteligente, actual, depois sensível, imprevisível e, para alem da ficção futurista, nunca deixaste de lembrar dos amigos...
Um pessoa assim, nunca deveria ter uma velhice solitária, nunca sozinho sem amigos.

Sei que este texto é uma ficção, porém quero desejar-te desde já um futuro muito melhor.

Beijokas além-mar

SaM

Parabens pelos sesu 70 anos...

Amigo acredite jamais se é velho enquanto viver dentro de nós um espirito que ansia pela vida, que buscar novas batalhas, que pretende ir mais além...

Felecidades!
Abraço

Juca

Sam, agradeço antecipadamente seus votos de feliz aniversário pelos meus 70 anos. Mas espero que tenha entendido que é uma brincadeira, que só completarei 70 anos em 2031. rs rs rs

Abraços!
Juca

Assinar Feed dos Comentários

Postar um comentário

Obrigado por deixar seu comentário sobre os serviços da "Lavanderia Virtual". Procurarei respondê-lo o mais rápido possível. Volte sempre! :-)

Abraços,
Juca (o gerente)



 

  ©Template Lavanderia Virtual, Customizado por Juca, baseado em Blogger Addicted.____Icons by DryIcons._____Ping Technorati____